logo-amarello

Turma de 2017:  MAYA WEISHOF

Em 2017 a Tropicália completará 40 anos, o que nos fez pensar em quem seriam essas vozes hoje, que lá atrás pensaram e repensaram a cultura do nosso país.

Conheça Maya Weishof, artista plástica (Curitiba/Paraná, 1993)

 

Mais em: mayaweishof.tumblr.com

“Acredito muito mais nas micropolíticas do que nas ‘’macro’’. A arte tem isso também. O macro relativiza qualquer informação por um filtro de dispersão onde muitas vezes se perde a real potência dessa ação. É possível talvez dizer algo sobre o país por um espectro macro, mas será que isso é vê-lo a partir de uma totalidade?

Quando traduzo o Brasil em uma imagem, chego, no máximo, a uma codificação cartográfica utópica que aprendi na escola ou com um livro grande cheio de mapas. Há um desenho que quer dizer Brasil. Mas me pergunto se há algum entendimento geral – a meu ver, é uma paisagem utópica.

São nessas dilatações que desenvolvo minha pesquisa – entre a codificação cartográfica e a escala humana na paisagem. Acredito que elas permitem aproximar distâncias e, ao mesmo tempo, entender qual é a medida do mundo. Dentro da minha produção há um desvio de insatisfação com a paisagem dada pela história da arte – é como se quisesse reconstruí-la a partir de outros paradigmas e vontades.

Minha vontade é que o público questione sobre onde moram essas perguntas voltadas à paisagem, às fronteiras, às migrações – ao nosso país – dentro das imagens que lhes entrego; e, assim, que questione qual é o espelhamento dentro do panorama real/pessoal dessas perguntas.”

Em 2017, Maya inaugura mostra individual em Porto Alegre, e também uma coletiva com um grupo de artistas emergentes no MuSA, museu com um panorama político importante na cidade.

Compartilhe