Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

PAISAGISMO INHOTIM

Assim nasceu Inhotim. Um lugar que não se acaba.

Por Bernardo Paz

A primeira fase do paisagismo começou em 1986 e foi comandada pelo paisagista Pedro Nehring, meu amigo de infância, que planejou, projetou e executou os jardins em uma área de aproximadamente quinze hectares. Foram implantadas inúmeras espécies de palmeiras nativas brasileiras e outras exóticas, de várias regiões do mundo, assim como árvores arbustivas e herbáceas tropicais que se desenvolveram muito bem no local.

O projeto de paisagismo buscou sempre a exuberância, mas também muita harmonia entre as espécies, gerando dessa forma leveza e espontaneidade. Como se esculpisse a natureza, o artista Pedro Nehring harmonizou os jardins de Inhotim com caminhos, escadas e pátios com pedras enormes de quartzito, cristal rosado, hoje raríssimas, sempre em busca de uma forma que evitasse denunciar uma criação surgida pela intervenção do homem. A execução foi feita por pedreiros especializados de Minas Gerais e por um profissional italiano, que construiu os espaços revestidos com pedra tamborada. O mobiliário urbano é assinado pelo designer gaúcho Hugo França, que cria bancos e mesas utilizando resíduos florestais.

O resultado desse trabalho – que ainda está em curso – é uma reserva natural com mais de 1.400 espécies de palmeiras nativas e exóticas, e inúmeras outras, principalmente as naturais da flora brasileira. Foi assim que Inhotim recebeu o título de Jardim Botânico em maio de 2010. O Jardim possui um expressivo acervo, com mais de 4.800 mil espécies de plantas catalogadas e diversas ações científicas, educacionais e conservacionistas em desenvolvimento. O local abriga uma das maiores coleções de palmeiras do mundo, com cerca de 1.300 espécies crescendo nos viveiros e jardins. Também expressiva é a coleção de Araceae, família que inclui de imbés a antúrios e copos-de-leite, com cerca de quinhentas espécies, a maior coleção viva desta família no hemisfério sul.

A aprovação do Jardim Botânico Inhotim foi um reconhecimento das atividades já desenvolvidas pela instituição: estudos florísticos, educação ambiental, catalogação de novas espécies botânicas, conservação in situ e ex situ e uso paisagístico de espécies raras. O Jardim Botânico tem como objetivo popularizar as atividades científicas através da educação ambiental e ainda desenvolver novas metodologias transferíveis para recomposição florística de áreas impactadas.

Também em maio de 2010, o Governo Federal, por meio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), reconheceu a Reserva Particular do Patrimônio Natural Inhotim. Localizada dentro do Instituto Inhotim, em Brumadinho (MG), a RPPN possui área total de 145,37 hectares e é mais um local dedicado à proteção da biodiversidade no país. Situada no domínio da Mata Atlântica, abriga cerca de mil espécies de plantas vasculares, aquelas que possuem tecidos especializados para o transporte de água e seiva. A reserva é constituída por remanescentes da Floresta Estacional Semidecidual Montana, encontrados em diferentes estágios de sucessão ecológica, e alguns encraves de Cerrado no topo das serras. Além da diversidade florística, a reserva possui também três nascentes com origem dentro da área protegida.

Durante a Semana do Meio Ambiente 2011, o Inhotim inaugurou para o público, em caráter permanente, a visitação ao Viveiro Educador, local onde se cultiva grande parte da coleção botânica da instituição. O espaço é formado por um complexo horticultural destinado a pesquisas científicas, manutenção da coleção botânica e atividades educacionais, e abrange uma área de aproximadamente 25 mil m2, com um acervo de mais de 4800 espécies, distribuídas em 167 famílias botânicas, dentre as quais se destacam Arecaceae (família das palmeiras), Araceae (imbés, antúrios, copo-de-leite) e Orchidaceae (orquídeas).

É lá, no coração da coleção botânica do Inhotim, que está sendo cultivada a famosa “Flor Cadavér”, cientificamente denominada Amorphophallus titanum. A exótica espécie floresceu, pela primeira vez na América Latina, no Inhotim, no ano passado. O fenômeno chamou a atenção do mundo inteiro e demorou dez anos para acontecer, durando, contudo, apenas três dias.

Mais de quinze anos passados após a criação e a implantação dos jardins é que nos veio a ideia de transformar minha fazenda particular em um parque aberto ao público, a ser compartilhado e apreciado por milhares de pessoas. Logo em seguida começamos o projeto do museu de arte contemporânea, convidando artistas brasileiros e estrangeiros de renome internacional a expor seus trabalhos em um espaço já humanizado pelos jardins. Assim nasceu Inhotim. Um lugar que não se acaba. Aqui sempre será!

 

Bernardo Paz tem se dedicado, desde 1988, a construir um lugar único no mundo, o Inhotim.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Share