logo-amarello

OS MUITOS E O UM: ARTE CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA

“Os muitos e o um”, é título desta primeira exposição organizada a partir de uma das maiores e mais importantes coleções de arte no Brasil: “Andrea e José Olympio Pereira”.

 

Pedimos licença de utilizar trechos do texto descritivo de “Os Muitos e o Um” no site do Instituto Tomie Ohtake. http://www.institutotomieohtake.org.br/. Não somos capazes de descrever melhor que eles.

 

Na curadoria, o crítico norte-americano Robert Storr, “optou por privilegiar obras individualmente vigorosas, com potência própria”, e é bastante isso que sentimos por lá. Obras com “potência própria”.

 

Falar de arte é tão difícil. Aqui no Amarello só conseguimos falar de belezas, e é tudo muito bonito.

 

“Estamos vivendo uma era pluralista e também um momento de excepcional diversidade e hibridez […] Em lugar algum este pluralismo é mais rico, heterogêneo e fecundo do que nas Américas; em nenhum lugar das Américas há maior efervescência artística de todos os tipos do que no Brasil”. (Robert Storr)

 

“No elenco”: Alfredo Volpi, Ivan Serpa, Lygia Clark, Lygia Pape, Mira Schendel, Willys de Castro, Helio Oiticica, Amilcar de Castro e Geraldo de Barros, Waltercio Caldas, Iran Espírito Santo, Anna Maria Maiolino, Paulo Bruscky, Miguel Rio Branco, Adriana Varejão, Tunga, Carmela Gross, Claudia Andujar, Luiz Braga, Leonilson, Jac Leirner, José Resende, Daniel Senise, Sandra Cinto, Ernesto Neto, Paulo Monteiro, Marcos Chaves, Rivane Neuenschwander, Rosangela Rennó, Erika Verzutti, Marina Rheingantz, Daniel Steegman, André Komatsu, Eduardo Berliner, Tatiana Blass e Bruno Dunley.

 

Onde: Instituto Tomie Ohtake (Av.Brigadeiro Faria Lima, 201 – Pinheiros- SP)

Quando: 4 de setembro a 23 de outubro / Terça a domingo das 11h às 20h

Gratuito

Obs.: O estacionamento é caríssimo.

Compartilhe